Feliz, Saudável e…Magra!!!!

Diário em busca do emagrecimento pré e pós cirurgia bariátrica

Archive for the ‘Dicas e orientações’ Category

Post para reflexão

Posted by Mônica Souza em 15/03/2010

Esse post foi publicado no blog da Fabíola, o endereço do blog dela taí oa lado, no meu blogroll.

Resolvi copiar na íntegra, porque achei muito legal.

Espero que as pessoas entendam definitivamente que a cirurgia é uma recurso que irá nos ajudar a perder e manter peso, para aquelas pessoas que já lutaram muito para perder peso e correm risco de desenvolver doenças graves por causa da obesidade.

Trocamos os remédios para pressão, coleterol, diabetes e etc., por complexos vitamínicos, alimentação equilibrada e FELICIDADE.

Leiam com carinho:
Dia 03 de março, fiz 7 meses de operada. Tenho a mania de ficar relendo os comentários aos meus posts. Amo reler o que vcs escrevem! Encontrei uma pergunta que uma pessoa me fez e eu havia dito a ela que a minha resposta também seria tema de um post. Como muitas pessoas fazem a mesma pergunta, aqui vai a pergunta que ela me fez e a resposta que eu dei.
Hoje vc não acha que a dieta é pior do que era uma dieta antes da redução? Cada vez que leio e vejo falar sobre queda de cabelo, suplementos, dietas e dietas, penso se não é melhor fazer a dieta sem operar? Vc faria de novo? Sinceramente?
Resposta:
Hoje eu tomo suplementos. Antes, eu tomava remédio para pressão e depressão.
Hoje, meus cabelos estão caindo. Isso é temporário. Todo emagrecimento rápido faz cair o cabelo. Não é exclusivamente por causa da operação.
Antes, eu tinha que carregar um corpo Enoooorme, meus joelhos doiam, minha coluna doía, minha auto-estima estava no fundo do poço, não podia ter uma vida social tranquila pq sempre tinha um engraçadinho querendo fazer chacota da minha obesidade.
Dietas??? Fiz um monte… todos com efeito sanfona porque obesidade é assim. Igual a alcoolismo.
E a cura? Ainda não existe. Temos que ter aliados nesse processo. A cirurgia, no meu caso que além de todos os problemas já citados ainda havia constatado em meus exames esteatose hepática (gordura no fígado) e intolerãncia a insulina (nunca poderei ficar diabética), era a forma mais rápida de obter um resultado para a minha saúde física e mental.
Portanto, eu faria tudo novamente.
Ontem eu vegetava. Era uma lagarta.
Hoje, eu vivo. Sou Borboleta.

Posted in Agradeço, Desabafo, Dicas e orientações | Leave a Comment »

Errando, mas refletindo e aprendendo…

Posted by Mônica Souza em 25/09/2009

Estou sentindo na pele os efeitos do estresse, da preocupação e da ansiedade na minha relação com a comida.

Nesta semana inicou-se o período de provas na faculdade.

Perdi quase um mês de aulas, portanto, tive que estudar todo o conteúdo sozinha, sem ter visto as explicações dos professores.

Me dediquei muito. Todo o tempo livre era para estudar. Nada de novela (amo Manoel Carlos e suas Helenas). Nada de passeios no weekend (ainda bem que Xande viajou!!!!), nada de nada…só estudando. E uma ansiedade louca para saber como seriam essas provas.

Acho que fazem mais ou menos uns 12 anos que não faço provas…as últimas foram na especialização, nem no mestrado (com exceção da seleção) fiz mais provas escritas (tudo na base de trabalhos, seminários e afins).

A minha irmã Lúcia me disse que eu não tinha mais idade para me preocupar com provas…rsrsrsrsrs

Queria ver se fosse com ela…caxias como é…

Bom, resumindo: muita tensão e o desconto na comilança foi fatal…

Refletindo sobre as escolhas da semana, concluo que enfiei o pé na jaca, principalmente na última refeição, aquela que a gente sempre costuma fazer em casa. E não tem desculpa: as escolhas foram erradas. Para mim, a comida tem efeito calmante. Tem gente que toma um Lexotan, ou um Frontal, eu como… 

Hoje saí mais cedo da faculdade, pois só tinha prova e depois fomos dispensados. Assisti ao programa da Nigela, no GNT.

Ela falava das “comfort foods”, traduzindo: comidas confortáveis, ou calmantes, aplacadoras da ansiedade, sei lá…

Gente, só coisa calórica…tirando um macarrão no estilo japonês (caldo ralo com pouca massa e muitos legumes), tudo era calórico.

Quando estou ansiosa, triste ou estressada, eu busco alimentos calóricos, geralmente com muito carboidrato. Li não sei onde que os carboidratos ajudam na síntese da serotonina, substância relacionada ao bem-estar.

Aí fui pesquisar e encontrei esse artigo explicando o ciclo vicioso no consumo exagerado de carboidrato. Ou seja, come-se muito, aumenta-se os níveis de açúcar no sangue, libera-se quantidade grande de insulina, que quebra todo o açúcar, deixando nada para o organismo, aí a gente sente uma fome louca e vai comer de novo para repor o açúcar e por aí vai…

Esse ciclo afeta também a produção da serotonina, nos deixando ansiosos, tensos e aí começa tudo de novo.

Traduzindo: ficamos mais tensos e ansiosos ainda depois de comer!!!! E não o contrário, como imaginávamos.

É exatamente o que acontece comigo!!!!!!

Parece bobagem, mas pensar sobre essas coisas é que tem me motivado a seguir em frente!

Estava tensa, comi demais, continuei tensa (ou mais tensa ainda), comi de novo…e por aí vai…

Opps, parei de brincar!!!!!!!!!!!!!

Voltei a ser inteligente, e a comer decentemente.

Resumo da ópera: De nada adianta se refugiar num prato de risoto, daqui a pouco você vai estar arrancando seus cabelos da mesma forma, e comendo o dobro.

Se liga, baby!

PS: assim que os professores liberarem as notas eu posto aqui para vocês verem se valeu ou não o esforço!!!!

Posted in Desabafo, Dicas e orientações, Medos | 9 Comments »

Autoestima

Posted by Mônica Souza em 22/09/2009

Valorizar-se: o segredo do seu bem-estar
Não coloque em risco seu prazer de viver. Estar acima do peso é apenas uma circunstância ue não reflete o seu real valor.

Olhar-se no espelho e gostar da imagem refletida. Com qual frequência você faz isso? Pois é, milhares de mulheres, de diferentes faixas etárias, sofrem com o sobrepeso ou obesidade e a luta contra a balança torna-se motivo de baixa autoestima e, muitas vezes, de depressão.

Se você se enquadra ou se identifica com este cenário está mais do que na hora de rever seus conceitos. Sim, preocupar-se com o sobrepeso é mais do que dar importância à própria estética. É ficar atenta aos malefícios que ele pode trazer à sua saúde. A relação, sobretudo, de doenças ligadas a esse mal é bem extensa.

Por isso, olho-vivo na boa forma. Mas atenção: dentro desse contexto é fundamental emagrecer comendo bem. Mais que isso: emagrecer gostando de você.

Um novo olhar
É fato que eliminar os quilinhos extras não é tarefa fácil… Manter-se no peso ideal é ainda mais complicado! Mas com determinação e ajuda profissional é possível alcançar o seu objetivo e permanecer magra. A trajetória de emagrecimento pode ou não ser prazerosa. Isso depende unicamente da óptica que você vê as coisas.

Se emagrecer, por exemplo, é sinônimo de restrições e proibições, certamente o processo de perda de peso será longo e doloroso (grifo meu). Se escolher, no entanto, o caminho da superação, do aprendizado e da conquista, a ação é muito mais rápida e sem traumas. Então, vamos lá: se a sua meta é se livrar de 20 quilos, não espere alcançá-la para comemorar, celebre quilo a quilo a sua realização.

O que eu quero dizer com isso? Ame-se, cuide-se e lembrese de que mais importante do que a estética, temos de garantir a nossa saúde e a autoestima. Goste de você, vibre com as suas conquistas, aprenda a se olhar com os olhos de superação.

Retorno certeiro
Vencida a ansiedade e a baixa autoestima você estará no caminho certo para não somente alcançar o emagrecimento, como ser mais feliz. A ideia é dissociar os sentimentos – sejam eles de ansiedade, estresse, raiva, amargura ou outros – do impulso de comer. Se conseguir adotar tal conduta, posso garantir que os resultados serão eficientes e duradouros. E então, que tal começar a fazer esse exercício?

Os quilos serão eliminados e a sua autoestima fará as pazes com você. Olhares de admiração também estarão voltados para si mesma. Resultado: aprenderá nesse processo a trabalhar principalmente a beleza que está no coração de cada um. E lembre-se: você é fruto das suas escolhas. No dia a dia, portanto, não escolha apenas o alimento que vai comer ou o método que irá seguir. Escolha também amar-se e respeitar a sua saúde.

Fonte: Revista Dieta Já

Posted in Dicas e orientações | 1 Comment »

Vai um sanduichinho aí????

Posted by Mônica Souza em 04/09/2009

Essa dica é super legal para a noite.

Você faz uma refeição gostosa e completa.

Receita da edição especial (269E) da Revista Boa Forma, Ed. Abril.

Escolhi o meu preferido para deixar aqui, mas compra a revista, vale a pena, tem 42 receitas ótimas!

Wrap de Frango com Espinafre (348 cal)

4 col. (sopa) de frango em cubos (100 g)

1col. (chá) de azeite de oliva

Sal a gosto

1 fatia de mussarela light

1 col. (sopa) de champignon

1 col. (sopa) de creme de espinafre

1 pão folha (ou pão sírio fininho)

Creme de Espinafre:

1/4 de cebola roxa cortada em cubos

1 col. (sobremesa) de azeite de oliva

1 col. (sopa) de farinha de trigo

2 xíc. (chá) de folhas de espinafre (pode ser congelado)

2 xíc. (chá) de leite desnatado

Sal e noz-moscada a gosto

Modo de fazer: tempere o frango com o azeite e o sal e reserve. Para fazer o creme de espinafre, bata a cebola e o azeite no liquidificador. Passe para uma panela e refogue. Junte a farinha e deixe tostar levemente. Reserve. Bata o espinafre com o leite. Misture com a farinha, retorne ao fogo e mexa até engrossar. Tempere com o sal e a noz-moscada e deixe esfriar. Enquanto isso, grelhe o frango numa frigideira antiaderente. Acrescente a mussarela e espere derreter. Coloque o champignon e o creme de espinafre.

Monte o wrap: coloque o recheio sobre o pão aberto, dobre as laterais e enrole. Leve ao forno até dourar. Corte ao meio e sirva em seguida.

Posted in Dicas e orientações, Receitinhas | 1 Comment »

Reportagem legal!

Posted by Mônica Souza em 02/09/2009

Publicado no site saudavel.info

Dicas para emagrecer: tenha um blog

November 21, 2006

Foto: Arquivo pessoal
Roberta antes, pesando quase 74 kg, e hoje, aos 62 e ainda batalhando para chegar de forma saudável aos 57 kg.

O caminho do emagrecimento saudável – nem sempre curto e poucas vezes fácil – ganhou, ao longo dos últimos anos, mais um aliado: o blog. Cresce na internet a quantidade de blogs integrantes da chamada “blogosfera light”, termo genérico para uma rede de blogs que tratam sobre emagrecimento e servem como uma verdadeira rede de apoio às pessoas que estão tentando chegar a um peso saudável. Estudos, inclusive, dão conta que esta rede de apoio é importantíssima não só para emagrecer, mas também, uma vez atingido o peso ideal, manter-se assim.

Roberta, autora do Magra e Saudável, explica a importância de manter um blog:

No processo de emagrecimento é muito comum “cairmos em tentação”. Nessas horas, desanimamos, pensamos em desistir, nos sentimos incapazes de mudar de comportamento… é aí que o pessoal da blogosfera light entra com seu incentivo, dicas, apoio, reconhecimento de conquistas.

Leia, a seguir, o depoimento de três blogueiras: Evinha, Roberta e Beth, sobre o poder dos blogs para auxiliá-las a chegar a uma vida mais saudável e ao seu peso ideal.

Com blogs criados entre 2003 e 2005, Beth, Evinha e Roberta contam que tentaram emagrecer mais de uma vez na vida. “Já tentei emagrecer diversas vezes, durante quase 30 anos, sem sucesso”, conta Beth, autora do Conquista. De acordo com ela, o uso de métodos errados e a falta de empenho absoluto em se reeducar foram os principais culpados. Somente quando teve a vontade de mudar totalmente sua rotina é que conseguiu não só emagrecer, mas também manter-se no peso. “O blog ajudou muito, foi e tem sido uma fonte a mais de motivação”, conta Beth. Evinha, que criou o Meu Emagrecimento, concorda: “Tentei perder peso sim, várias vezes. Mas como não tive esse tipo de apoio, o resultado não foi muito bom. A motivação é muito importante.”

Esta motivação vem dos comentários motivadores que recebem e, também, pelo simples fato de verem a audiência de seus blogs crescerem, formando uma comunidade que as estimula a continuar. O blog atual de Beth recebeu 194 mil visitas desde 2003. “O alcance do blog, das coisas que compartilho através dele fugiram completamente de qualquer expectativa que eu pudesse ter. Além dos comentários no próprio blog, eu recebo muitos e-mails de pessoas que não são blogueiras mas que me acompanham e me enviam mensagens lindas, de motivação, de entusiasmo, de carinho e muitas delas reltam suas histórias pessoais e é muito comum me contarem também sobre o emagrecimento que conseguiram depois que passaram a me acompanhar”, conta.

Foto: Arquivo pessoal
Evinha em dois momentos: com quase 94 kg e hoje, com 51.

Evinha e Roberta, do Magra e Saudável, também se surpreenderam com o apoio que recebem dos leitores dos seus blogs e ressaltam o quanto isso as ajuda a continuar. Roberta afirma que seu blog recebe visitas de aproximadamente 200 pessoas por dia. “Eu não esperava essa visitação, até porque para mim, só o fato de escrever já está me ajudando, principalmente por causa desse “compromisso” que acabamos firmando. Um fator gratificante, é saber que estamos ajudando outras pessoas com os mesmos problemas!”, afirma. Já Evinha, com cerca de 500 visitantes por dia no início do blog, resume: “Nunca imaginei, é orgulho enorme.”.

As três ressaltam a importância de buscar informações em diferentes fontes e, mais ainda, de se ter acompanhamento profissional a todo momento. Beth conta que se consulta com um endocrinologista e uma nutricionista há quase um ano. “E busco sempre orientação e informações junto ao próprio grupo Vigilantes do Peso”, completa. Roberta reforça: “Nunca fiz nenhum tratamento sem suporte de um profissional, acho isso muito importante”.

Foto: Arquivo pessoal
Beth, que de 140 kg, já conseguiu baixar para os 88.

Preocupação com privacidade? Todas tiveram sim, e dão dicas sobre como se proteger. “Tome cuidado com o que publica, evite citar endereços e telefones publicamente, se puder também evitar mencionar sobrenomes completos e algumas outras informações que podem ser mal utilizadas, melhor ainda. Mas sem neuras.”, conta Beth. Roberta reforça que não se deve revelar dados pessoais como endereço e telefone. “E de resto, ter a cautela de sempre!”, diz. E Eva conta que, apesar dos medos, “todos que entram nesse círculo (Blogosfera Light) são muito bem-vindos. A maioria dos provedores dão acesso e ferramentas para se criar um blog. É muito fácil, e depois de feito, comente em outros blogs e aumente seus contatos.”

Os motivos para criar o blog

Beth: Criei meu blog em 2003, quando já estava em processo de emagrecimento há quase 1 ano. O que motivou a criação foi ter chegado ‘por acaso’ ao blog de uma outra vigilante do peso quando estava buscando na Internet. Curiosa, li os posts da e comecei a comentar. Ela me respondeu por e-mail, começamos a trocar idéias e eu passei a visitar outros blogs linkados ao dela e de outras pessoas que ia ‘conhecendo’, até que um grupo resolveu, carinhosamente, criar uma ‘campanha pelo blog da Beth’, criando até um selinho.

Roberta: Comecei o meu blog em 03/2005 (pesando 73 Kg). Fazendo pesquisas na Internet, descobri um blog que falava sobre dietas, até então nem mesmo
sabia o que era um blog! A pessoa me parecia tão motivada, que resolvi montar o meu também!

Evinha: Comecei no dia 15/02/2005. Vi alguns blogs sobre esse assunto e resolvi arriscar.

As vantagens do blog ao fazer uma dieta

Beth: Ele funciona como uma ‘ponte’ que liga diversas pessoas que vivenciam situações bem parecidas e que passam pelas mesmas coisas, embora cada um com sua particularidade e sua história pessoal. A troca de informações, dicas, sugestões, apoio, carinho e amizade passa a ser mais um ingrediente especial de motivação, de força para seguir em frente.

Assim como nas reuniões do grupo Vigilantes do Peso (do qual faço parte) são importantes para que as pessoas possam ouvir umas às outras, receber orientação, expor dúvidas e aprender, tendo a companhia de outras que estão na mesma estrada, este universo que chamamos carinhosamente de Blogosfera Light (ressalto que estou me referindo ao complexo de blogs e não a um site específico que tenha este nome) passa a ser este ‘ponto de encontro’.

Cabe ainda exaltar que por mais que tenhamos à nossa volta, no convívio pessoal, gente que nos ama e nos apóia e nos ajuda a seguir, faz falta o convívio, mesmo que ‘virtual’, com pessoas que não só compreendam, mas que realmente sintam, vivam o que a gente está vivendo. É o que cada blog acaba sendo para os outros. Muita gente já estava quase desanimando quando leu posts de outras pessoas e percebeu que aquela sua dificuldade é comum, que aquela falha que cometeu outras pessoas também cometem, aí foi em mais alguns e percebeu vitórias, casos de sucesso e assim, ficou reanimada e continuou em frente. Muita gente que desacredita de si mesma pode obter incentivo para buscar a força interior para seguir, para vencer. E até os erros que são relatados, os procedimentos totalmente equivocados que muita gente expõe nos blogs passam a ser também lições, pois todos aprendemos com os erros e acertos de todos.

Roberta: Além de estar falando com pessoas que falam a mesma língua que você, há uma troca de informações sobre dietas, exercícios, medicamentos, experiências, enfim informações realmente úteis e enriquecedoras. Há também um certo “compromisso” em se manter na “linha”, já que costumamos relatar tudo o que acontece em nosso dia-a-dia. Quando cometemos alguma “falha”, tem sempre alguém disposto a levantar o nosso astral, e isso
faz com que não sintamos vontade de desistir, o que é muito importante num processo de emagrecimento, que é cheio de “altos” e “baixos”.

Evinha: O apoio e as amizades que consegui. É ótimo por que não nos sentimos sozinhas, ajudamos e somos ajudadas.

As dicas de quem já está passando pelo processo

Beth: Minha dica para quem quiser seguir meu exemplo é: SIGA. Não sou melhor que ninguém, passo por todas as dificuldades de qualquer pessoa que esteja nesta estrada, mas estou conseguindo vencer porque simplesmente DECIDI que assim seria. Entenda que somos humanos, portanto aprendizes e passíveis de erros. E que a cada falha, em vez de desanimarmos ou colocarmos em dúvida nossa capacidade, temos é que procurar entender nossos próprios mecanismos, avaliar o que nos levou a falhar e, pouco a pouco, com paciência, compreensão e muita boa vontade, ajustar o que for preciso. Mas a dica essencial é: AME-SE. O amor por si mesmo é o que motiva toda a ação positiva em seu benefício. A auto-estima não pode ser consequência do processo, ela deve ser a CAUSA para tudo que você fizer por si mesmo.

Roberta: Nenhum método é realmente eficaz se você não desejar do fundo da alma mudar seus hábitos. O processo não é fácil, haverá vários “tropeços” e o que importa é não desistir no primeiro deles!

Evinha: Se quiser criar um blog é ótimo, mas o mais importante é a persistência e nunca desistir do seu objetivo, acredite que é possível.

Blogs recomendados pelas três:

Posted in Dicas e orientações | Leave a Comment »

Evitando o efeito sanfona

Posted by Mônica Souza em 31/08/2009

12 dicas alimentares para acabar de vez com o efeito sanfona

SHÂMIA SALEM
Colaboração para o UOL

Todo mundo tem uma receita para emagrecer, mas quando o assunto é manter o corpo conquistado a coisa se complica, principalmente entre quem engordou muito nos dois primeiros anos de vida, na puberdade, gestação ou no climatério. “O excesso de peso nessas fases leva à multiplicação das células de gordura, que permanecerão em estado de alerta ao longo de toda a vida para acumular mais gordura a cada desvio na dieta”, diz a endocrinologista Silvia Bretz, do Rio de Janeiro. Daí a explicação do porquê algumas pessoas voltam a engordar mesmo cometendo pequenos deslizes, o chamado efeito sanfona.

  • STXAlimentação equilibrada, diminuir quantidade de calorias, praticar atividade física e não emagrecer rápido demais são cuidados fundamentais para eliminar o efeito sanfona

Para romper esse ciclo é preciso tomar quatro cuidados essenciais: seguir uma alimentação equilibrada, consumir menos calorias do que gasta diariamente, praticar atividade física pelo menos três vezes por semana por, no mínimo, 30 minutos e não emagrecer rápido demais – é consenso entre os especialistas que a redução não deve ser maior do que um quilo por semana e que é preciso manter o ponteiro da balança estacionado por dois anos consecutivos. “Só dessa forma o organismo passa a acreditar que esse é o seu novo corpo e começa a trabalhar para não ultrapassar essa margem”, completa a médica Silvia Bretz. Para garantir que esse plano dê certo e o efeito sanfona fique no passado, coloque em prática estas dicas:

1) Opte por alimentos volumosos e magros
“Eles ocupam boa parte do estômago dando a sensação de saciedade sem extrapolar no valor energético”, explica a mestre em nutrição Cynthia Antonaccio, de São Paulo. Além da salada de verduras, vale acrescentar legumes crus ralados à massa e folhas inteiras de repolho ao picadinho e preparar o arroz trocando 50% dos grãos por couve-flor.

2) Siga a “regra do 1”
Quando alguém oferecer bala, doce, biscoito ou qualquer outra guloseima, limite-se a aceitar uma única unidade para matar a vontade sem engordar.

3) Tome uma porção de gaspacho antes do almoço
Segundo pesquisa da professora de nutrição Barbara Rolls, da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, a sopa fria à base de verduras, tomate e pepino ou qualquer outro caldo ralo sacia e evita o consumo até 100 calorias na refeição.

4) Beba chás emagrecedores
O mais famoso deles é o verde, mas também vale o branco e o vermelho. “Para ter resultado é preciso tomar diariamente uma xícara em jejum e mais duas 20 minutos antes do almoço e do jantar”, avisa a nutricionista Marilize Tamanini, de Curitiba (PR). E atenção ao preparo: use uma colher de sopa da erva escolhida para cada litro de água e deixe na infusão por um minuto. Vale lembrar que a receita é contraindicada para quem tem problemas no fígado ou sensibilidade à cafeína, hipertensos não controlados, gestantes e lactantes.

5) Aposte em pratos difíceis de mastigar
A estratégia é dar tempo para o cérebro liberar a mensagem de que está saciado, o que acontece 20 minutos depois da primeira garfada. Na prática, troque o purê pela batata inteira, refogue rapidamente a escarola e a couve, bata o iogurte com gelo no liquidificador e prefira macarrão parafuso em vez de espaguete.

6) Coma a cada três horas
“Fracionar as refeições é o melhor moderador de apetite que existe, além de estimular o funcionamento do intestino e manter o metabolismo acelerado”, afirma a nutricionista Marilize Tamanini.

7) Capriche nos líquidos
É muito comum confundir sede com fome. “Manter a garrafinha de água sempre à mão ajuda até a combater o vício de abrir e fechar a geladeira várias vezes ao dia”, garante a nutricionista Cynthia Antonaccio. Quem não gosta de água por achar insossa, pode acrescentar na jarra rodelas de limão ou laranja, dois pedaços de canela em pau ou um ramo de hortelã.

8) Reduza os extras na lanchonete
Isso significa cortar a calda adicional do sorvete e o segundo hambúrguer no sanduíche, por exemplo, que chegam a aumentar em 1/3 o valor calórico do pedido.

9) Cuidado com os pequenos vilões
Consumir balas, chicletes e outros doces para enganar a fome pode ser perigoso. Para tirar a prova, deixe sobre a mesa do trabalho a embalagem das guloseimas consumidas e repare na quantidade de papéis no fim do dia.

10) Desligue o iPod
O aparelho, assim como a televisão, desvia a atenção da comida e a pessoa só se dá conta de que comeu tudo ao bater o garfo no fundo do prato vazio. Essa prática pode levar à ingestão de até 100 calorias a mais do que o habitual, concluiu um estudo da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos.

11) Fique com os destilados na happy hour
“Esse tipo de bebida faz com que a pessoa consuma mais pausadamente, ao contrário do que acontece com o chope e a cerveja, ajudando a economizar muitas calorias”, destaca Cynthia Antonaccio. Para acompanhar, peça uma fonte de proteína, como iscas de filé ou frango, em vez de carboidratos e gordura, como pão ou berinjela e tomate seco mergulhados no azeite.

12) No restaurante, atente para o preparo do prato
Isso vale principalmente no japonês, que é considerado light. Para se ter uma ideia, cada sushi pequeno é feito com uma colher cheia de arroz – e quem é que consegue ficar só em uma porção de oito unidades?

Posted in Dicas e orientações | 2 Comments »